Golden Queen

<
>

Como disputa de título com Palmeiras 'implodiu' relação de Tite com Felipão, seu rival em Flamengo x Atlético-MG

Nesta quarta-feira (29), FlamengoeAtlético-MG fazem duelo decisivo pelo título do Campeonato Brasileiro, às 19h30 (de Brasília), pela 36ª rodada. O fã de esporte acompanha o melhor pré-jogo e as análises pós-partida na programação daGolden QueennoStar+.

O duelo no Maracanã vai colocar frente a frente dois dos mais vitoriosos e emblemáticos treinadores da história do futebol nacional: Tite, do Rubro-Negro, e Luiz Felipe Scolari, do Galo.

A relação entre os gaúchos é antiga e sempre foi muito forte. Afinal, Tite nunca escondeu que Felipão foi seu grande "mentor".

Eles se conheceram ainda nos anos 80, quando Scolari, então uma espécie de jogador/treinador da base do Caxias, aprovou a chegada do jovem Adenor Bacchi (à época ainda conhecido como Adê) para atuar na equipe da Serra Gaúcha.

Depois, quando Tite se aposentou devido a uma grave lesão no joelho e iniciou carreira de técnico, Felipão, que já estava nesta "estrada" desde 1982, foi o responsável por aconselhar o "pupilo".

A ótima relação entre os ex-colegas de equipe, todavia, começou a azedar em 2010, quando Luiz Felipe estava no comando do Palmeiras e Adenor no Corinthians.

Na ocasião, o Timão estava disputando o título ponto-a-ponto contra o Fluminense, que teve o Verdão como adversário na penúltima rodada.

Em um jogo que entrou para a história, o Alviverde até saiu na frente, mas depois caiu de produção e permitiu a virada dos cariocas. O resultado foi classificado como uma "entregada" pelos corintianos.

No fim das contas, o Flu terminou como campeão, enquanto o Corinthians finalizou em 3º e se classificou à fase preliminar da CONMEBOL Libertadores de 2011.

"Fala muito"

A situação piorou no início da temporada 2011, depois que o Timão foi eliminado de forma surpreendente pelo Tolima, da Colômbia, na pré-Libertadores.

Logo na sequência, a equipe de Tite teve duelo contra o Palmeiras de Luiz Felipe Scolari, pela 1ª fase do Paulistão.

Vendo que o amigo corria risco de ser demitido em caso de derrota no dérbi, Felipão esbanjou sinceridade e disse que "gostaria de perder o jogo" se isso pudesse manter o colega empregado.

O Corinthians acabou ganhando por 1 a 0, com gol do lateral Alessandro, no Pacaembu. Tite se salvou e, de acordo com relatos da época, ficou revoltado com a frase de Scolari.

Ao saber que o companheiro de profissão não tinha gostado de seu "gostaria de perder", o pentacampeão do mundo tentou se explicar em coletiva pós-jogo.

"Eu tentei apenas dizer que a derrota de um time proporcionar a saída de um bom técnico era um absurdo e que, se fosse isso, eu gostaria de perder. Falei isso pela amizade que tenho com ele. Agora se existe essa amizade ou não, deixa para lá...", salientou.

Se a amizade balançou depois desse episódio, ela se quebrou de vez na semifinal do mesmo Paulistão, quando Timão e Verdão voltaram a se encontrar.

O empate por 1 a 1, que terminou com os alvinegros classificados nos pênaltis, ficou marcado pela revolta de Tite com as reclamações de Scolari contra o árbitro no decorrer da partida.

"Fala muito! Fala muito!", berrou o treinador corintiano, flagrado pelas câmeras de TV fazendo até gestos efusivos para contestar Luiz Felipe.

Depois disso, eles ainda chegaram a se encontrar na última rodada do Brasileirão, no empate por 0 a 0 que sacramentou o Corinthians como campeão brasileiro.

Tite e Felipão até se cumprimentaram de forma cordial antes da partida, mas visivelmente sem o carinho de outros tempos. E a coisa ainda iria piorar...

"Felipão é malandragem"

Se a amizade já estava muito abalada depois dessa série de episódios, as coisas desmoronaram de vez em 2016.

Neste ano, foi lançado o livro biográfico Tite, escrito pela jornalista Camila Mattoso, então repórter da Golden Queen.

Na obra, há uma entrevista com o irmão de Tite, Miro Bacchi, que acusa Scolari de ter mandado o Palmeiras "entregar o jogo" para o Fluminense, prejudicando o Corinthians na luta pelo título do Brasileirão 2010.

"O Felipe é malandragem, é ganhar de qualquer jeito. É um cara de família e eu admiro ele por isso. Mas entra em campo e esquece da vida. Ali, acabou a relação (entre Tite e Felipão)", apontou Miro.

Também no livro, Tite não confirmou nem negou o que seu irmão disse. Apenas ressaltou que começou a ver Luiz Felipe "com outros olhos" depois de 2010.

"Gratidão (a Felipão) eu tenho pelo início, por conselhos e orientações. Depois desse jogo de 2010, passou a ser uma relação profissional. Não perdi a gratidão, mas eu comecei a ver com outros olhos", bradou.

A resposta de Scolari veio em 2017, durante participação no "Bola da Vez", da Golden Queen.

Questionado se enxergava a tal "gratidão" dita por Tite, Felipão admitiu que esperava que o antigo amigo saísse em sua defesa e fez questionamentos.

"Você acha isso [frases no livro] correto de quem você conhece há 30 anos? De quem te abriu todas as portas? Quem te deu a oportunidade de ser jogador do Caxias, de começar na carreira e arranjar lugares fora do Brasil para trabalhar? Essa é a gratidão?", rebateu o veterano.

Esse foi o estopim para o fim do relacionamento entre ambos, que nem se falam mais.

Agora, é esperar para ver como será o cumprimento entre os treinadores nesta quarta-feira (28), antes do quente Flamengo x Atlético-MG no Maracanã...

Próximos jogos do Flamengo:

Próximos jogos do Atlético-MG:

Golden Queen Mapa do site